Nota de Apoio ao Museu Nacional e de Repúdio à precarização dos órgãos públicos

A INA – Indigenistas Associados vem a público manifestar o seu apoio ao corpo técnico e científico do Museu Nacional do Rio de Janeiro e o seu repúdio ao descaso governamental quanto à manutenção física desta instituição, palco de uma das maiores tragédias envolvendo o patrimônio cultural brasileiro.

A história da antropologia se confunde com a história da instituição, pela qual passaram Roquette Pinto,  Luis de Castro Faria, Darcy Ribeiro, entre outros antropólogos, indigenistas e indígenas, que hoje têm seus lugares garantidos no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFRJ, que até então funcionava no local.

Ao longo dos anos, esta importante instituição museológica fez a salvaguarda de um dos maiores acervos da cultura material indígena, retratada em milhares de objetos de etnias situadas no território brasileiro. O Museu Nacional também contribuiu para a preservação do patrimônio imaterial indígena brasileiro por meio de diversas pesquisas no campo da Linguística, Arqueologia e Antropologia. Com o incêndio, houve perda irreversível de arquivos de referências etnológicas únicas que datam do século XV, o arquivo Curt Nimuendaju e áudios de povos já extintos entre tantas outras perdas num prejuízo que ainda não pode ser contabilizado.

O incêndio no Museu Nacional acarretou não somente a perda de parte da história indígena e indigenista brasileira, mas também a de um espaço de reafirmação de identidades e memórias dos povos tradicionais. O incêndio era previsível se observado o estado precário de manutenção e de segurança das instalações do Museu Nacional aliado à dotação orçamentária cada ano menor.

Tal tragédia anunciada ocorre no momento em que a INA está em plena campanha de denúncia da falta de servidores e estrutura da Funai, que têm levado esta instituição pública federal ao colapso. Neste momento de desolação, nos solidarizamos aos pesquisadores e servidores do Museu Nacional. Convidamos a sociedade a se unir contra o descaso governamental, apoiando os encaminhamentos sugeridos por aqueles que se dedicaram ao Museu Nacional e fortalecendo os órgãos governamentais que lutam pela valorização do patrimônio cultural brasileiro, entre eles, a Funai. Exigimos que o governo assuma sua responsabilidade nos direitos culturais da sociedade brasileira e na proteção e promoção dos direitos dos povos indígenas, para que a tragédia já instalada sobre estes povos não se agrave ainda mais.

INDIGENISTAS ASSOCIADOS

Nota Museu Nacional